A primeira feira internacional de mineração de Parauapebas terminou com um saldo bastante positivo. Durante os quatro dias de evento, quase duas mil pessoas visitaram a exposição; o congresso ofereceu 40 horas de cursos, palestras e trabalhos técnicos voltados ao setor; representantes de 24 multinacionais marcaram presença, além de outras dezenas de empresas prestadoras de serviços.

feira-2

“Em um ano marcado por uma crise sem precedentes na economia brasileira, acredito que a EMINA foi um sucesso. Não apenas pelos números registrados de participação, mas também pelo retorno que trouxemos para a economia da cidade”, comemora Dafne Fonseca, diretora da Formulae e organizadora da feira.

Segundo ela, os quatro dias de evento movimentaram o segmento receptivo – que envolve hotéis, traslados, restaurantes, passeios e compras – sem falar na óbvia contribuição para fomentar novos negócios, aproximando fornecedores e tomadores de serviços em diversas áreas. “Sem apoio financeiro de nenhuma entidade, acredito que fizemos mágica, e mostramos o potencial que Parauapebas tem. Espero que em 2018 possamos unir forças com o poder público e mineradoras, a fim de realizarmos a segunda edição da EMINA”.

Para os expositores, o momento também é de comemoração. “A feira atendeu a nossa expectativa. Divulgamos nossa empresa, fizemos alguns contatos, tivemos solicitações de propostas. Como nós atendemos tanto as indústrias, quanto as residências, todo mundo é um cliente em potencial para a gente. Espero participar das demais feiras”, disse Natanael Lima, sócio diretor da HC Ambiental.

feira-3

“Acredito que o evento tenha rompido alguns paradigmas por ter sido realizado na região. Os principais pontos positivos foram o nível dos estandes, das empresas participantes e a estrutura de estande disponibilizada pela organização do evento. Conseguimos bons resultados, pois decidimos focar em tecnologia, e os clientes (Vale) tiveram um melhor contato com as ferramentas e puderam entender melhor sua aplicação. Na próxima edição avaliaremos novamente a nossa participação”, afirmou Brunno Cavalcante, do Grupo Sotreq.

Já o consultor Paulo Velasquez Santos, cuja palestra demonstrou as possibilidades de novas atividades em torno de Curionópolis, resumiu bem os impactos do evento. “A EMINA 2016 foi um marco na região, trazendo empresas internacionais, nacionais e regionais, com estandes e palestras, demonstrando os rumos e as novas tecnologias aplicáveis nas atividades de mineração e com respeito ao meio ambiente. Se Deus quiser, claro que estaremos na próxima EMINA em 2018”.

“Tivemos alguns clientes de grande importância na feira. Se o meu mercado se manter estável até 2018, iremos participar da próxima edição”, afirma Anselmo Lage Nicoli, dono da Link Industrial.

feira-4

“A EMINA 2016 foi um evento de projeção nacional, onde mostramos a todos os visitantes nossos produtos e principalmente a nossa capacidade produtiva. É realmente um evento que deve se tornar referência no setor e nossa presença é muito importante para o negócio”, garante Carolina Ronconi, gerente de marketing da FGS Brasil.

A importância do evento para a cidade também foi destacada pela presença de autoridades como o prefeito eleito Darci Lermen, o seu vice Sérgio Balduíno, e Marily Germano, palestrante e diretora de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Governo do Estado do Pará.

A Feira Internacional de Mineração de Parauapebas contou com apoio institucional da Prefeitura Municipal; da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ); do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Estado Espírito Santo (Sindifer); e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade.

palestra-de-wander-nepomuceno

“Quero agradecer aos expositores, palestrantes e também as marcas que investiram em merchandising por terem acreditado neste projeto. Que em 2018 possamos aprimorar o trabalho realizado e fomentar ainda mais negócios para o setor mineral na região de Carajás”, finaliza Dafne Fonseca.

Confira a lista de quem fez a EMINA acontecer: 2AJ Equipamentos de Segurança; Avanco Resources; Conductix Wampfler; Equipamentos Industriais; Continental Contitech; Del Rey Minerals; Esco; Emerson Automation Solutions; FGS Brasil; Gonzaga Importação / Mine Cable Services; Goodwin Latina; Gummi; Haver & Boecker; Hc Ambiental; Hidrau Máquinas; Inviolável Parauapebas; Link Indústria e Comércio de Máquinas para Mineração; Maxweld Comércio e Serviços de Soldagem; Pollyrubber; Pur Equipamentos Industriais; Rodobens Veículos Comerciais/ Mercedes-Benz; Sampla do Brasil; Solaris Equipamentos e Serviços; Solução Equipamentos; Sotreq / Catterpillar; Toledo do Brasil Indústria de Balanças; Univar Brasil; Vix Logística / Grupo Águia Branca.